Rede Fetal Brasileira 

CIUR isolado em gestação monocoriônica

Crescimento intra-uterino restrito isolado em gestação Monocoriônica - CIUR isolado

Quando apenas um dos gêmeos desacelera o ganho de peso, levando a uma diferença acentuada entre os pesos dos fetos.
Ocorre em 15 a 25% das gestações monocoriônicas. O diagnóstico é realizado através de ultrassonografia obstétrica a partir de 16 semanas, quando se observa discrepância de peso entre os fetos superior a 30% e/ou um dos gêmeos com peso abaixo do percentil 10. A bexiga do feto pequeno será menor, assim como a quantidade de líquido amniótico, porém no outro gêmeo ambos os parâmetros serão normais. 


Fisiopatologia - Discrepância acentuada entre os territórios responsáveis pela nutrição de um dos gêmeos que se torna gravemente desnutrido. O risco de morte iminente deste gemelar coloca o outro em risco. Pois, como anastomoses placentárias estão sempre presentes, o feto vivo pode “esvaziar” toda a sua volemia no feto morto. Isto leva a um risco de morte concomitante do gemelar com crescimento normal de 40% e, ele caso sobreviva, ainda tem 30% de chance de desenvolver sequelas neurológicas graves (AVC isquêmico por hipovolemia aguda, associado a porencefalia).



Apresentação Clínica - Quantidade de líquido amniótico discrepante entre as bolsas, à custa da redução do líquido do feto com CIUR. O outro gêmeo tem líquido e crescimento adequados.

Pode ser classificado em três tipos de acordo com a alteração do Doppler presente na artéria umbilical do feto com CIUR. No tipo 1 o fluxo é normal, no tipo 2 a diástole é ausente e no tipo 3 a diástole é reversa/ausente, de forma intermitente.


Até recentemente não existia outra alternativa para este tipo de situação que não a vigilância semanal, através da ultrassonografia e a indicação do parto a partir da viabilidade, em caso de deterioração da condição hemodinâmica do feto com CIUR. Porém, ao contrário do CIUR em gestação única, as alterações da Dopplervelocimetria podem não seguir a sequência conhecida de deterioração (alteração das umbilicais, seguidas da alteração da cerebral e do ducto venoso). Portanto, este pode não ser um bom parâmetro para o acompanhamento destas gestações.


Há algum tempo foi proposta uma alternativa terapêutica, que seria realizar a "separação" das circulações dos gêmeos através de cirurgia fetal endoscópica (fetoscopia) para oclusão vascular com laser. A coagulação das anastomoses placentárias, à semelhança do que é realizado para tratamento da síndrome de transfusão feto-fetal, "desconectaria" as duas circulações, protegendo o gêmeo com crescimento normal, em caso de morte do gemelar com CIUR.

Critérios de indicação de tratamento cirúrgico fetal - A fetoscopia pode ser indicada nos tipos 2 e 3, tendo por objetivo separar completamente as duas circulações a nível placentário, de forma a proteger o gêmeo com crescimento normal, caso o pequeno evolua para óbito.



Clique aqui para acessar o programa que auxiliará nos cálculos de estimativa de peso etc... (calculator/medicinafetalbarcelona)



A tabela abaixo mostra os percentis de peso fetal de acordo com a idade gestacional, de 16 a 26 semanas de gestação.













Hadlock FP, Harrist RB, Martinez-Poyer J. In utero analysis of fetal growth: a sonographic weight standard.Radiology. 1991;181(1):129-33







                                          anastomose artério-arterial
                                                            Anastomose artério-arterial na superfície placentária



Classificação para CIUR seletivo (Gratacós):

A classification system for selective intrauterine growth restriction in monochorionic pregnancies according to umbilical artery Doppler flow in the smaller twin. Ultrasound Obstet Gynecol 2007; 30: 28–34












Active management of selective intrauterine growth restriction with abnormal Doppler in monochorionic diamniotic twin pregnancies diagnosed in the second trimester of pregnancy. Prenatal Diagnosis 2012, 32, 1–7